top of page

Perseguição aumenta, Dino e Lula mentem e Janja ignora tragédias no Sul do país

Jornalista Alexandre Garcia é perseguido por dizer que a construção de represas no Sul deveria ser investigada Nesta terça-feira (12), o Deputado Thiago Manzoni usou a tribuna para defender as liberdades individuais, mencionando a perseguição ao Jornalista Alexandre Garcia. Ainda sobre o Sul, o distrital falou da indiferença do atual presidente da República em relação à recente tragédia que aconteceu na região.

O parlamentar relembrou o início deste ano, quando foi criada a Procuradoria Nacional da União de Defesa da Democracia, mas que à época, ficou claro que seria justamente o contrário do que o nome sugere.


"O nome é bonito, mas na época, muitos de nós, brasileiros, dissemos que isso seria, na verdade, um instrumento de perseguição político, ideológico. De fato, o que se vê hoje é que a procuradoria é um instrumento de perseguição a opositores políticos".

A Advocacia-Geral da União (AGU) vai investigar o jornalista Alexandre Garcia por uma suposta desinformação. O jornalista falou que deveria ser investigada essa enchente porque é possível que a construção de represas naquela unidade da federação não tenha sido feita da maneira correta.


"É por isso que ele vai ser investigado. Você imagina assim, o presidente da República foi até o Rio Grande do Sul para se solidarizar com os mortos, para ajudar o governador Eduardo Leite, para ajudar na tomada de decisões. Não! Não foi. Viajou para a Índia, onde a sua esposa, a primeira-dama do Brasil, chegou fazendo dancinha e falando, namastê, 'estou felicíssima por estar aqui na Índia'".

O deputado seguiu falando que esse é o "governo do amor", em que os brasileiros estão morrendo afogados, as casas foram para debaixo da água e o presidente viajou para a Índia.


"Foi para a Índia dizer que se o Putin aparecer aqui no Brasil, não vai ser preso, contrariando acordos internacionais dos quais o Brasil é signatário. Foi para a Índia dizer que não sabe o que é o Tribunal Penal Internacional. Aí uma brasileira vem aqui no Brasil e fala assim, ele sabe sim, porque foi ele que me nomeou no tribunal. É o pai da mentira, mente descaradamente".

Segundo o parlamentar, esse é o governo em que as imagens são apagadas e quando acontece uma tragédia, o presidente vai embora.


"Aliás, eu queria saber se ele preside o Brasil mesmo ou se ele preside em outro país, porque ele fica mais tempo viajando para o exterior. E ele quer um avião novo que vai custar 400 milhões de reais, do pagador de impostos brasileiro, para ele ter uma cama de casal, um banheiro melhor dentro do avião. Enquanto isso, tem gente lá morta debaixo da água, milhares de famílias desabrigadas que vão receber um auxílio de 800 reais cada família".

E se fosse antes de primeiro de janeiro deste ano, se fosse o governo anterior, ia ser um escândalo que está acontecendo, desabafou o distrital.


"Todos os veículos de comunicação estariam tratando o presidente pejorativamente, estariam mostrando o absurdo que é uma primeira-dama se comportar dessa maneira, o absurdo que é o presidente não ir até lá no Sul". Mas o governo mudou", concluiu.


Comments


bottom of page