top of page
  • Ananda Moura

Doutor João Alberto descreve com precisão o documento produzido no Conae

Professor que também é advogado denuncia planos de revolução na educação

Doutor João Alberto descreveu com precisão o documento produzido no Conae
Foto: Jeremias Alves

Na audiência pública realizada na Câmara Legislativa na última segunda-feira (18), o Doutor João Alberto expressou preocupação com a ameaça aos valores conservadores na educação brasileira. A convite do Deputado Thiago Manzoni, ele destacou a influência do Ministério da Educação e de diversos organismos educacionais na implantação de um plano de revolução que visa destruir os valores tradicionais da sociedade.


“O nosso país é um país de reduto católico, evangélico e conservador, talvez um dos últimos do mundo. O intuito desse plano é acabar com a cosmovisão cristã e como você faz isso? Sequelando, obviamente, a família”, explicou o professor.

Doutor João Alberto descreveu com precisão o documento produzido no Conae
Foto: Jeremias Alves

João Alberto criticou Conferência Nacional de Educação (Conae) e destacou pontos específicos do documento que se opõem ao ensino evangélico, católico e cívico-militar, além de atacarem os conservadores.


“O Conae, além de ser uma desgraça completa e personificada através desta literatura que nos foi imposta, com 179 páginas, onde no eixo 2, na página 58, no ponto 266, vem sequelar o ensino evangélico, católico, cívico-militar, o homeschooling e ainda quer dar uma pancada nos conservadores. Isso aqui é uma carta produzida por pessoas que não sabem o que é pedagogia e talvez seja formado em ciências ocultas e letras apagadas, como MST, CUT e a UNE”, protestou.

Doutor João Alberto descreveu com precisão o documento produzido no Conae
Audiência Pública para debater o resultado da Conae

O professor anunciou a intenção de protocolar uma ação popular para cancelar a Conae e restituir os recursos públicos investidos no evento, argumentando que o documento produzido promove a militância em detrimento da educação. De acordo com o doutor João Alberto, o regimento da Conae diz em seu capítulo primeiro, parágrafo segundo, que essas informações devem ser repassadas para todos os municípios.


“Não foi passado. Por isso nós estamos protocolando uma ação popular para cancelar esse Conae e que seja restituído ao erário público os 12 milhões de reais que foi jogado na latrina. Há um desvio de finalidade em todo o processo da Conae. Não existe educação, existe formação de militância, sequestro de mentalidades na educação infantil e fundamental”, disse.

João Alberto encerrou a sua participação citando passagens bíblicas e conclamando os presentes a resistirem às investidas contra a liberdade e os valores cristãos na sociedade brasileira. Ele enfatizou a importância de permanecer vigilante diante das tentativas de imposição de ideologias contrárias à fé e à moralidade, destacando a necessidade de defender os princípios que fundamentam a sociedade.



Comments


bottom of page