top of page
  • Ananda Moura

Sob o pretexto de laicidade, o ensino religioso cristão foi retirado das escolas, e agora querem incluir religião afro-brasileira

Na reunião extraordinária da Comissão de Educação, Saúde e Cultura da Câmara Legislativa desta quinta-feira (14), o Deputado Thiago Manzoni votou contra um projeto de lei que quer tornar obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira nas escolas do DF.

Sob o pretexto de laicidade, o ensino religioso cristão foi retirado das escolas, e agora querem incluir religião africana
Foto: Jeremias Alves

Ao se pronunciar sobre o seu voto contrário, Manzoni iniciou falando que o racismo é uma das atitudes mais abjetas que existe e que as pessoas não podem aceitar serem divididas em raças.


"Nós somos a raça humana, independentemente da cor da nossa pele, do tipo de cabelo que nós temos, do tipo de nariz que nós temos, se o nosso olho é puxado ou não é puxado. Nós somos iguais nesse sentido".

Thiago Manzoni relembrou que o ensino religioso cristão foi retirado das escolas do Brasil, sob o pretexto da laicidade do Estado. O país mais católico do mundo, com maioria da população cristã e agora querem ensinar religião de matriz africana.


"E agora, com este pano de fundo, de se combater o racismo que merece ser combatido, o que se pretende na verdade, é trazer a história e a cultura afro-brasileira é colocar nas escolas, como nós vemos em inúmeros livros. Então o que se vê, na verdade, é um combate ao cristianismo", explicou.

Este processo silencioso de aprovação de leis tem acontecido no Brasil, segundo o Deputado Thiago Manzoni e ele se dirigiu aos conservadores para que estejam atentos.


"Este projeto de lei do Deputado Chico vigilante determina a obrigatoriedade desse ensino, mas ela tem como sustentáculo uma lei federal de 2008, e ele está pedindo aqui é a aplicação desta lei e isso passou debaixo dos nossos narizes, sem que nós tenhamos percebido", alertou o Deputado Thiago Manzoni.



Komentar


bottom of page