top of page
  • Ananda Moura

Paulo Figueiredo participa do lançamento de frente conservadora, iniciativa de Manzoni

Fortalecimento do conservadorismo e a nova liderança política no Brasil

No lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Conservadorismo e das Liberdades Individuais na Câmara Legislativa do DF, na última quarta-feira (30/08), um dos participantes foi o jornalista Paulo Figueiredo. O jornalista acredita que as pessoas comuns são conservadoras, amam as suas famílias e não compactuam com a agenda woke.

Para o jornalista Paulo Figueiredo, a humanidade vive um momento de transição. Segundo ele, acontece um descasamento mundial em detrimento de uma restrição que teve início em meados de 2020.


“Há um descasamento entre a vida das pessoas comuns, que são de fato conservadoras, amam seu país, amam suas famílias. São pessoas que não compactuam com essa agenda ‘woke’, de lacração da esquerda, desse neomarxismo. Essas pessoas vivem um mundo muito diferente das pessoas que conservam a voz e o poder. Desde 2020, as pessoas que os donos do poder chamam de establishment, pode chamar das elites do poder, eles dobraram a aposta para garantir sua permanência no poder. Como fizeram isso? Restringindo a liberdade de uma população que se revoltava”.

Figueiredo celebrou a iniciativa da criação de uma Frente Parlamentar em Defesa do Conservadorismo e das Liberdades Individuais e disse que esta data é histórica.



"E hoje estou vivendo um momento no qual eu estou assistindo o lançamento de uma frente parlamentar com o nome de liberalismo e conservadorismo assumidos com orgulho. Nós tivemos de forma absolutamente vitoriosa em 2018 um presidente com bandeiras assumidamente conservadoras. Eleito pela primeira vez no Brasil. E eu disse, o presidente antes de Jair Bolsonaro, o último presidente conservador tinha sido João Figueiredo, mas que foi eleito indiretamente pelo Congresso", comemorou.

O jornalista disse ainda que atualmente, a maior liderança política do Brasil é uma pessoa assumidamente conservadora, o presidente Jair Bolsonaro. Para ele, este fato é um grande avanço.


"Do ponto de vista de liderança política, hoje o político mais popular do Brasil, aliás, não hoje, o político mais popular do país em todas as nossas gerações recentes, sem dúvida nenhuma, é um assumidamente conservador, que é o presidente Jair Bolsonaro. Então, pensem no avanço fantástico que isso representa agora", compartilhou.





Comments


bottom of page