top of page

No plenário, Manzoni fala de violência contra a mulher, defesa da família e respeito às autoridades

Durante discurso no plenário nessa terça-feira (14), o Deputado Distrital Thiago Manzoni falou da importância de combater a violência contra as mulheres no Distrito Federal por meio do resgate das famílias.



Foto: Jeremias Alves


O parlamentar comentou a morte de Simone Sampaio, assassinada pelo ex-companheiro na manhã da segunda-feira (13) no DF. Simone é a sexta mulher vítima de violência este ano.


"Nós tivemos mortes por estrangulamento, mortes a tiro. E parece que o fato de haver legislação a punir esses crimes bárbaros não tem funcionado muito. [...] Eu sou a favor de que a legislação seja mais rígida, mas me parece que ao agir dessa maneira, nós estamos combatendo o sintoma. É como um paciente febril que a gente dá um antitérmico pra ele, mas a causa da doença não está sendo combatida. Parece que prevenir, nesse caso, seria melhor do que o remédio. [...] E me parece que o cerne dessa discussão gira ao redor da família".

Para Manzoni, é preciso reajustar a cultura para preservar as mulheres. É preciso voltar para as famílias, para educar filhos que respeitam e protegem as mulheres.


"É impossível achar que nós vamos preservar ao mesmo tempo em que degradamos. É impossível nós acharmos que vamos preservar as nossas mulheres quando as nossas músicas e a nossa cultura degradam. É impossível a gente achar que nós vamos formar adultos que respeitam e protejam as nossas mulheres quando desde criança eles estão acostumados com uma cultura que degrada, que objetifica. Não vai funcionar. Não tem punição que seja suficiente."

Respeito às autoridades


Manzoni ainda chamou a atenção para o fato de que a sociedade não respeita mais as autoridades. Para o parlamentar, esse ensino começa na família.


"Os nossos professores hoje apanham em sala de aula. Isso começa lá na família. Os nossos policiais vão efetuar prisões e eles são atacados na rua porque hoje não se respeita mais autoridade. Isso começa na família. Quando a autoridade da mãe e do pai começa a ser questionada e nós aplaudimos isso. Nós temos que voltar para as origens. Porque se nós não nos voltarmos para as nossas famílias, nós não vamos parar de assistir, dia após dia, esse tipo de ataque covarde que as nossas mulheres estão sendo submetidas."

O Deputado informou que fez uma análise da pesquisa socioeconômica realizada pela Codeplan a cada dois anos no DF e detectou que há uma deficiência no que diz respeito às perguntas relacionadas às crianças, como a informação de quantas foram vítimas de violência, por exemplo.


Para ter dados mais concretos e que auxiliem nas políticas públicas a serem implantadas, o Deputado fez uma indicação para que a Codeplan melhore o questionário e que insira perguntas que ajudem a preservar as mulheres e as famílias do Distrito Federal.





Comments


bottom of page