top of page

Manzoni presta homenagem à deputada Amália Barros e faz críticas ao governo federal

Na sessão ordinária desta terça-feira (14), o Deputado Thiago Manzoni abordou temas diversos, incluindo a morte da Deputada Amália Barros, críticas ao governo federal e a liberdade provisória do Coronel Naime.

Manzoni presta homenagem à deputada Amália Barros e faz críticas ao governo federal
Foto: Jeremias Alves

No início do discurso, Manzoni lamentou profundamente a morte da Deputada Federal Amália Barros. Ele expressou suas condolências ao esposo dela, Thiago Boava, à mãe, família e amigos. Ressaltou as qualidades de Amália, destacando-a como uma pessoa de bom caráter, lutadora e vencedora, que sempre fazia com que todos ao seu redor se sentissem melhor.


“Então fica aqui o meu abraço à família e amigos da Amália. E o meu desejo de que o Espírito Santo esteja confortando a todos que estão sofrendo com a perda dela”, lamentou o parlamentar.

Em seguida, o deputado falou sobre a denúncia da pesquisadora Michele Prado sobre a existência de um "gabinete do ódio", capitaneado pela assessoria de imprensa "não oficial do governo". Manzoni enfatizou que as acusações de fake news são usadas para desacreditar fatos e imagens feitas no Rio Grande do Sul. Ele parabenizou os cidadãos e a iniciativa privada por se unirem para ajudar o Sul, mencionando as doações e suprimentos enviados do Distrito Federal.


“Quando alguém fala que o que está sendo filmado e registrado é fake news, é mais ou menos o seguinte: 'não acredite no que você vê, acredite no que eu estou dizendo'. A verdade é que o governo federal abandonou o Rio Grande do Sul. Graças a vocês, cidadãos que se uniram e que estão lutando bravamente, a tragédia não está pior”, pontuou Manzoni.

Por fim, o Deputado comentou sobre a liberação provisória do Coronel Naime da Polícia Militar do Distrito Federal, que ficou preso por 461 dias sem sentença transitada em julgado. Manzoni considerou a prisão injusta e desejou boa recuperação ao Coronel, tanto física quanto psicológica. Ele também expressou solidariedade às famílias dos policiais militares ainda presos e esperou que eles sejam libertados em breve.



コメント


bottom of page