top of page
  • Ananda Moura

A volta do imposto sindical obrigatório é um absurdo e pune os trabalhadores

A nova bandeira do governo Lula é defender a reintrodução do imposto sindical obrigatório


Na sessão ordinária da Câmara Legislativa desta terça-feira (22), o Deputado Thiago Manzoni discursou sobre o imposto sindical obrigatório. A possibilidade de retorno ao arcabouço jurídico nacional do chamado imposto sindical afetará todos os trabalhadores.

Imposto sindical pune os trabalhadores
TV Câmara Distrital

Em seu discurso na tribuna, Manzoni disse que a reintrodução do imposto sindical é, na verdade, uma tentativa da esquerda de retomar as ruas.


"A torneira do imposto sindical secou e as ruas foram deixadas de lado porque não havia mais dinheiro para financiar manifestações de pessoas que iam para as ruas com dinheiro da CUT, ou de outras organizações sindicais".

Segundo o parlamentar, corre um "rio de dinheiro" para essas organizações e desde 2017, quando a reforma trabalhista fez com que esse imposto deixasse de existir, a arrecadação caiu muito.


"Só a arrecadação da CUT, que caiu 99,6%, de 62,2 milhões de reais por ano, para 274 mil reais. Por que essa queda ocorre? Porque na maioria das vezes, essas entidades não representam absolutamente ninguém e ninguém contribui com elas voluntariamente", explicou.

Com o retorno da contribuição, o trabalhador será obrigado a entregar parte do seu salário para essas entidades, sendo que agora o valor cobrado será ainda maior.


"Pode ser até 1% do ganho do trabalhador. É lamentável que isso esteja acontecendo e com a finalidade político-eleitoral, de fazer a população acreditar que os movimentos de esquerda, os ditos movimentos sociais, ainda conseguem se organizar. Não conseguem e precisam desse dinheiro para mobilizar as pessoas".

Manzoni encerrou sua fala apelando para os parlamentares do Congresso Nacional.


"Espero que isso não progrida na Câmara dos Deputados e no Senado Federal e que o trabalhador brasileiro e brasiliense se veja livre, como de fato ele é livre hoje, desse imposto sindical".


Comments


bottom of page